domingo, 29 de outubro de 2017

Nightmare

Esses dias venho pensando muito sobre o tema "Pesadelos", deve ser porque recentemente voltei a tê-los com frequência. Isso ocorre comigo de tempos em tempos.

Existe algumas fases - estou em uma inclusive - em que fico com medo de dormir porque sei que meu Freddy está a minha espreita, está em meu encalço.

Pesquisando sobre o tema descobri que a maioria das Enciclopédias e Dicionários definem Pesadelo como "um sonho penoso com sensação de opressão terminando por um despertar sobressaltado ou agitado e com ansiedade. Outra definição interessante é: "... uma perturbação qualitativa do sono... um distúrbio que se passa na nossa cabeça enquanto dormimos..." "... é um sonho perturbador (ou ameaçador), associado a pensamentos ruins."

Resumidamente, a Ciência define os Pesadelos como sendo nada mais do que sonhos ruins que despertam em nós sensações de medo, angústia, tristeza e raiva. Falando sobre o porquê acontece, a Ciência alega que as razões pelas quais os pesadelos acontecem não são claras, mas sabe-se que assim como os sonhos, os Pesadelos podem refletir situações que não conseguimos lidar muito bem em nosso dia-a-dia. A Ciência também alega que coisas como Stress, Ansiedade e Uso de medicamentos antidepressivos, também podem vir a causar os temidos Pesadelos.

Um outro fato, é que pessoas que sofreram algum tipo de trauma, tendem a ter sonhos ruins que estejam relacionados de alguma forma ao stress que passaram. Na minha opinião, é uma forma macabra e penosa de o seu cérebro fazer você passar por aquilo de novo.

Um outro fato interessante dos Pesadelos, é que temos a tendência de sempre lembrar deles, pois eles exigem de nós uma grande carga emocional... Enfim, sou uma sobrevivente de muitos Pesadelos, tanto em sonhos como em Vida.

Ahh e aliás eu escolhi o tema "Nightmare" devido ao seu significado. A expressão em inglês "Bad Dream" (Literalmente: Sonho Ruim), que também é usada para se referir a Pesadelos, não define a inteireza do que os Pesadelos significam na minha vida, o peso que eles tem sobre mim. Já a palavra "Nightmare", tem um significado mais claro sobre o que ocorre comigo. Essa palavra inglesa que também é usada para se referir a pesadelos, dizia respeito nos anos de 1600 a um demônio que vinha e sufocava as pessoas enquanto dormiam.

Esse Incubus não me sufoca só em meus Sonhos/Pesadelos... Na verdade ele está comigo todo o tempo...

segunda-feira, 3 de julho de 2017

Cantando Minha Vida - Capítulo 10: One Last Night

"Amarrada a um coração pálido
Por que ele quer me trazer para onde ele vai?
Ah, e para descobrir as razões do porquê
É o suficiente para fazer você querer tentar
Por uma última noite

Fantasmas e silhuetas
Eles pegam um pedaço de mim, eles querem tudo...

É como esperar em uma sala vazia
Com a sensação de que está se aproximando...

Eu tive um sonho que eu estava morrendo
Mas eu não encontrei ninguém lá
E se uma última noite é tudo o que nos foi dado
Vamos vivê-la como se nos importássemos

Quebrada, em cima das rochas
Deixe as ondas batendo
Venha me derrubar

E eu tive aquele sonho que eu estava morrendo
E eu não encontrei ninguém lá
E se uma última noite é tudo o que nos foi dado
Vamos vivê-la como se nos importássemos

Ao menos por uma última noite..."

sábado, 22 de abril de 2017

Cantando Minha Vida - Capítulo 9: Asleep

Adormecer

"Cante pra eu dormir
Cante pra eu dormir
Eu estou cansado e eu
Eu quero ir pra cama
Cante pra eu dormir
Cante pra eu dormir
E então me deixe sozinho
Não tente me acordar de manhã
Porque eu terei partido

Não se sinta mal por mim
Eu quero que você saiba
Do fundo da célula do meu coração
Eu ficarei muito feliz em partir

Cante pra eu dormir
Cante pra eu dormir
Eu não quero mais acordar
Sozinho de novo
Cante pra mim
Cante pra mim
Eu não quero mais acordar
Sozinho de novo

Não se sinta mal por mim
Eu quero que você saiba
Do fundo da célula do meu coração
Eu realmente quero ir

Há um outro mundo
Há um mundo melhor
Bem, deve haver
Bem, deve haver
Bem, deve haver
Bem, deve haver
Então

Adeus adeus
Adeus adeus
Adeus"

quinta-feira, 9 de março de 2017

Cantando Minha Vida - Capítulo 8: The Blackest Day

Segue mais um capítulo da Minha Vida cantado. Lembrando que o "Amor" nem sempre é colocado (bem, no meu caso nunca) no quesito romântico...

"Me leve pra casa, eu estou com minhas unhas azuis
Essa é minha cor favorita e meu tom de música favorito
Eu não quero realmente terminar, vamos continuar em frente
É isso o que restou da nossa conversa, mas você estava errado

Não é fácil para eu falar sobre isso
Eu tenho amarras bem pesadas no coração
Eu não sou simples, é trigonometria
É difícil de expressar
Não consigo explicar

Desde que o meu amor se foi
Tem sido o dia mais negro, tem sido o dia mais negro
Tudo o que eu escuto é Billie Holiday
É tudo o que eu toco
É tudo o que eu toco

Porque eu estou indo mais fundo e mais fundo
Mais e mais
Ficando sombria e mais sombria
Procurando por amor
Em todos os lugares errados
Oh, meu Deus
Em todos os lugares errados
Oh, meu Deus

Me leve pra casa, tenho o meu carro novo e minha arma nova
Vento em meus cabelos, segurando sua mão, ouvir uma música
Me leve pra casa, não quero falar sobre o que está por vir
Só coloque suas mãos para o alto, o rádio ligado

Porque não há nada para conversarmos
Como o futuro ou essas coisas
Porque não há nada para pensar sobre isso
Agora que ele se foi, eu não posso sentir nada

Desde que o meu amor se foi
Tem sido o dia mais negro, tem sido o dia mais negro
Tudo o que eu escuto é Billie Holiday
É tudo o que eu toco
É tudo o que eu toco

Porque eu estou indo mais fundo e mais fundo
Mais e mais
Ficando sombria e mais sombria
Procurando por amor
Em todos os lugares errados
Oh, meu Deus
Em todos os lugares errados
Oh, meu Deus

Você deveria ter conhecido melhor
Ao invés de deixá-la
Você foi pego pelo feitiço dela ao vento
Eu tenho você onde eu quero
Você está mais morto do que nunca
E caindo no esquecimento
Eu estou jogando com você
Tenho você no lugar que eu quiser
Eu te tenho, eu te tenho
Eu tenho você onde eu quero

Desde que o meu amor se foi
Tem sido o dia mais negro, tem sido o dia mais negro
Tudo o que eu escuto é Billie Holiday
É tudo o que eu toco
É tudo o que eu toco

Essa não é uma daquelas fases que vou superar
Ou apenas uma canção, não é só isso
Eu estou por conta própria
Por conta própria
Por conta própria agora
Eu estou por conta própria outra vez
Eu estou por conta própria outra vez
Eu estou por conta própria outra vez"

sábado, 18 de fevereiro de 2017

Cantando Minha Vida - Capítulo 7: Wide Awake

"Estou bem acordada

Sim, eu estava no escuro
Estava caindo com tudo
Com um coração aberto
Estou bem acordada
Como pude ler as estrelas de maneira tão errada?

Estou bem acordada
E agora está claro para mim
Que nem tudo que se vê
É o que parece
Estou bem acordada
Sim, estive sonhando por muito tempo

Queria saber naquele momento
O que sei agora
Não mergulharia de cabeça
Não me curvaria
A gravidade machuca
Você tornou isso tão doce
Até que acordei no
No concreto

Caindo da nuvem mais alta
Desmoronando do topo
Estou abandonando tudo nesta noite
Sim, estou caindo da nuvem mais alta

Estou bem acordada
Sem perder o sono
Juntei cada pedaço
E aterrissei de pé
Estou bem acordada
Não preciso de nada para me completar, não

Estou bem acordada
Sim, nasci novamente
Para fora da cova dos leões
Não tenho que fingir
E é tarde demais
A história acabou agora, o fim

Queria saber naquele momento
O que sei agora
Não mergulharia de cabeça
Não me curvaria
A gravidade machuca
Você tornou isso tão doce
Até que acordei no
No concreto

Caindo da nuvem mais alta
Aconteceu de repente, estou
Desmoronando do topo
Estou abandonando tudo nesta noite
Estou caindo da nuvem mais alta

Estou bem acordada
Trovão roncando
Castelos ruindo (estou bem acordada)
Estou tentando aguentar firme (estou bem acordada)
Deus sabe que tentei
Ver o lado positivo (estou bem acordada)
Mas não sou mais cega
Estou bem acordada
Estou bem acordada

Sim, estou caindo da nuvem mais alta
Aconteceu de repente, estou
Desmoronando do topo
Sabe que estou abandonando tudo nesta noite
Sim, estou te abandonando, estou
Estou caindo da nuvem mais alta

Estou bem acordada"

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Lembranças

As lembranças, as vezes, trazem a tona sentimentos e questões tão confusas. Para mim, pelo menos, funciona assim.

Ao me lembrar do que costumávamos ser antes daquele lugar, o que costumávamos acreditar, eu sinto uma saudade que aperta o peito tão forte, e de uma forma tão intensa e vívida, que eu sinto como se estivesse disposta a dar minha própria vida, só para viver um momento daqueles, somente mais uma vez...

Éramos nós contra o mundo, de uma certa forma e de todas as formas. Era real! Eu sei que era.

É engraçado, que as lembranças te fazem enxergar as coisas, que passaram, de uma perspectiva um pouco diferente. A questão é: É a perspectiva certa, mais clara, acertada, pois é baseada em nosso melhor entendimento dos fatos, e a madureza que nos molda ao passar dos anos? Ou é uma perspectiva ofuscada, embaçada por estar baseada em lembranças, memórias que fazem com que nosso coração sinta saudades e supervalorize uma época que passou e já não existe mais?

E automaticamente, depois de passar pelos "anos dourados", as lembranças te levam ao ponto derradeiro, aonde no lugar de todos sentimentos positivos, só existe desconfiança, mágoa, raiva... Ódio. E é aí que as lembranças começam a se embaralhar, e você não consegue distinguir o momento aonde tudo começou a mudar, e o porquê começou a mudar.

Quem mudou? Nós mudamos tanto assim? O que o tempo fez conosco? O que fizemos? Por que permitimos? Será que não era tão verdadeiro como achávamos?

Eu não sei... Não sei... E as lembranças não conseguem me responder.

quarta-feira, 2 de novembro de 2016

Cantando Minha Vida - Capítulo 6: Losing My Way

Muitas vezes quando chegamos ao fundo poço, em especial quando já o visitamos algumas vezes,  sentimos como se nada mais pudesse fazer sentido, ou tornar-se certo - por assim dizer - novamente. Esse sentimento vem acompanhado sempre de um Desespero Descomunal (com dois D's bem grandes pra você).

Em épocas assim, eu me imagino em reuniões de auto-ajuda, com "parceiros" imaginários que compartilham comigo a escuridão, frieza e desconforto do fundo do poço.

E se você parar pra pensar, pessoas que são viciadas em narcóticos ou alcoólatras, quando "chegam" ao fundo do poço - e até mesmo durante o processo - tem os mesmos sentimentos, e estão enfrentando a mesma dor que pessoas, que assim como eu, enfrentam diariamente, em especial em nossas crises.

E não poderia ser diferente porque no final do dia, os alcoólatras, os viciados em narcóticos, os viciados compulsivos alimentares, os que possuem compulsões e vícios mais lascivos, estão todos na mesma orla sendo subjugados pelos seus demônios, que mesmo sendo distintos entre si, pertencem a mesma legião.

Pra mim a letra dessa música fala um pouco sobre essa dor... Sobre se encontrar sozinho no fundo do poço mais uma vez, perdida, confusa, sem esperança, desesperada... Fala sobre ter perdido seu caminho e não fazer a mínima idéia de como recuperá-lo. Fala sobre como me sinto hoje, fala sobre como me sinto nos últimos meses... Mais uma vez!

Segue:

"Com Licença;

Oi meu nome é Bob e eu trabalho em uma empresa
Eu ganho quarenta e poucos dólares por dia
Eu costumava ser o cara em minha cidade
Até que eu comecei a perder o meu caminho
Tudo começou quando eu abandonei a escola
Me divertindo eu estava vivendo a vida
Mas agora eu tenho um problema com essa "pedrinha branca"
Eu não consigo largar esse cachimbo

E isto está me derrubando
Observando o mundo girar
Enquanto meus sonhos despencam
Tem alguém aí fora?
Isto está me derrubando
Não há mais amigos ao redor
E meus sonhos despencam
Tem alguém aí fora?

Alguém ai fora pode me ouvir?
Porque não posso nem mesmo me ouvir
Alguém ai fora pode me ver?
Porque não posso nem mesmo me ver
Deve haver um céu em algum lugar
Você pode me salvar desse inferno?
Alguém ai de fora pode me sentir?
Porque não posso nem mesmo me sentir

Perdendo meu caminho
Continuo perdendo meu caminho
Continuo perdendo meu caminho
Você pode ajudar a encontrar a encontrar meu caminho?
Perdendo meu caminho
Continuo perdendo meu caminho
Continuo perdendo meu caminho
Você pode ajudar a encontrar a encontrar meu caminho?

Agora, você tem que entender
Eu era um homem de família
Eu faria qualquer coisa pela minha familia
Mas eu não conseguia enxergar o problema que tinha
Então eu acabei sozinho
Eu me lembro de onde eu estava quando tive minha primeira droga
Veja, eu pensei que eu estava vivendo a vida
E a coisa a mais louca é que eu provavelmente nunca saberei
A cor dos olhos da minha filha

E isto está me derrubando
Observando o mundo girar
Enquanto meus sonhos despencam
Tem alguém aí fora?
Isto está me derrubando
Não há mais amigos ao redor
E meus sonhos despencam
Tem alguém aí fora?

Alguém ai fora pode me ouvir?
Porque não posso nem mesmo me ouvir
Alguém ai fora pode me ver?
Porque não posso nem mesmo me ver
Deve haver um céu em algum lugar (Deve haver um céu em algum lugar)
Você pode me salvar desse inferno? (Você pode me salvar?)
Alguém ai de fora pode me sentir?
Porque não posso nem mesmo me sentir

Perdendo meu caminho
Continuo perdendo meu caminho
Continuo perdendo meu caminho
Você pode ajudar a encontrar a encontrar meu caminho?
Perdendo meu caminho
Continuo perdendo meu caminho
Continuo perdendo meu caminho
Você pode ajudar a encontrar a encontrar meu caminho?

Oh meu Deus, por favor, me perdoe (Pai, escute minhas preces)
Porque eu sei que fiz algo de errado nesta vida
Se eu pudesse fazer tudo de novo
Ter apenas mais uma chance
De pegar esses erros e corrigi-los

Alguém ai fora pode me ouvir?
Porque não posso nem mesmo me ouvir
Alguém ai fora pode me ver?
Porque não posso nem mesmo me ver
Deve haver um céu em algum lugar
Você pode me salvar desse inferno?
Alguém ai de fora pode me sentir?
Porque não posso nem mesmo me sentir

Perdendo meu caminho
Continuo perdendo meu caminho
Continuo perdendo meu caminho
Você pode ajudar a encontrar a encontrar meu caminho?
Perdendo meu caminho
Continuo perdendo meu caminho
Continuo perdendo meu caminho
Você pode ajudar a encontrar a encontrar meu caminho?"

segunda-feira, 11 de julho de 2016

Cantando Minha Vida - Capítulo 5: Metal Contra as Nuvens

A letra da música abaixo expressa, de alguma forma e de todas as formas, a fase que estou passando. A fase a qual eu entro vez por outra, e faz com que nada disso faça o menor sentido.

Essa solidão, esse desespero, esse vazio... Essa vontade louca de fazer parte de algo, de ser alguém... De ter amigos... De ter com quem contar... É nada mudou... e nada mudará.

Segue a letra:

"Não sou escravo de ninguém
Ninguém, senhor do meu domínio!
Sei o que devo defender
E por valor eu tenho
E temo o que agora se desfaz

Viajamos sete léguas
Por entre abismos e florestas
Por Deus nunca me vi tão só
É a própria fé o que destrói
Estes são dias desleais

Eu sou metal
Raio, relâmpago e trovão
Eu sou metal
Eu sou o ouro em seu brasão
Eu sou metal
Quem sabe o sopro do dragão

Reconheço meu pesar
Quando tudo é traição
O que venho encontrar
É a virtude em outras mãos.

Minha terra é a terra que é minha
E sempre será
Minha terra
Tem a lua, tem estrelas
E sempre terá

Quase acreditei na tua promessa
E o que vejo é fome e destruição
Perdi a minha sela e a minha espada
Perdi o meu castelo e minha princesa

Quase acreditei, quase acreditei
E, por honra, se existir verdade
Existem os tolos e existe o ladrão
E há quem se alimente do que é roubo.
Mas vou guardar o meu tesouro
Caso você esteja mentindo.

É a verdade o que assombra
O descaso que condena
A estupidez o que destrói
Eu vejo tudo que se foi
E o que não existe mais

Tenho os sentidos já dormentes
O corpo quer, a alma entende
Esta é a terra-de-ninguém
Sei que devo resistir
Eu quero a espada em minhas mãos

Eu sou metal: raio, relâmpago e trovão
Eu sou metal: eu sou o ouro em seu brasão
Eu sou metal: quem sabe o sopro do dragão

Não me entrego sem lutar
Tenho ainda coração
Não aprendi a me render
Que caia o inimigo então

Tudo passa
Tudo passará (3x)

E nossa história
Não estará
Pelo avesso assim
Sem final feliz
Teremos coisas bonitas pra contar
E até lá
Vamos viver
Temos muito ainda por fazer
Não olhe pra trás
Apenas começamos
O mundo começa agora, ahh!
Apenas começamos."

domingo, 17 de abril de 2016

Razões Para Viver

Até hoje eu sofro com os eternos efeitos colaterais de todo aqueles (e de certa forma todos esses) anos de tortura, pânico e desespero que eclodiram no 3º semestre de 2014.

As feridas profundas que carrego, parece que jamais irão cicatrizar... Aparentemente todas estão cicatrizadas, mas quando me deparo com elas - o que ocorre vez por outra - parece que ainda são feridas abertas... Elas ainda doem demais em alguns dias e épocas.

Everyday (todos os dias), eu acordava em desespero e com aquela incerteza, quase certa de que eu não sobreviveria a mais uma noite... Mas eu sobrevivi! Depois de ficar internada uma semana no hospital - e correr o risco de ficar muito mais tempo internada, em um lugar não muito acolhedor -  eu comecei encarar um outro desafio... Os olhares. Tinham de todos os tipos! Havia os olhares curiosos, preocupados, confusos e até mesmo, alguns maldosos.

Todos independente da cor, formato, intensidade e brilho, tinham algo em comum: A distância.

Se eu tivesse uma máquina do tempo e tivesse a oportunidade de falar ao menos 5 minutos com aquela garota assustada e desesperada para encontrar suas razões para viver, eu diria a ela que apesar de todo mundo a olhar e se esconder, de todos falarem e todos mentirem, de mudarem de assunto e estarem indo pra longe, ela sobreviveria.

Que o medo e as lágrimas - como sempre - estariam lá, mas que a ajudariam a pass by, get over (superar) tudo aquilo. Que por mais que amanhã, e depois e depois, e depois, e depois... nada fosse parecer diferente (até porque nada iria mudar), ela deveria tentar se lembrar quando os dias não eram tão monótonos.

Eu iria lembrá-la que razões para viver nunca são baratas, e que até mesmo seus melhores amigos podem te nocautear, e que eu concordo que deveria haver uma maneira melhor, mas não há.

E finalmente eu diria á ela que as razões dela de viver são todas belas.                                                        

sexta-feira, 25 de março de 2016

Cantando Minha Vida - Capítulo 4: Gods And Monsters

Continuando a falar sobre a minha interminável luta interna, eu sempre amei a letra dessa música.

Desde a primeira vez que a ouvi... as palavras... a melodia... o toque... Tudo nela me tocou fundo, pois fala muito sobre esse meu sentimento de estar só!

Assustada, perdida, sozinha, abandonada... Abandonada até mesmo por Deus... Em busca de recuperar algo irrecuperável e alcançar algo inalcançável. 

Lembrando que a ideia da música fala sobre mim (meus sentimentos), e não cada palavra cantada nela!

Segue:

"Em uma terra de deuses e monstros
Eu era um anjo
Vivendo no jardim do mal
Estragada, amedrontada
Fazendo tudo o que eu precisava
Brilhando como um farol de fogo

Você tem esse remédio que eu preciso
Fama, licor, amor
Dê-me isto devagar
Coloque suas mãos na minha cintura
Faça isso suavemente
Eu e Deus
Nós não nos damos bem, então agora eu canto

Ninguém vai tomar minha alma
Vivendo como Jim Morrison
Caminhando para um feriado f****

Motel, bebedeira, orgias
E eu estou cantando
F*** Yeah, dê para mim
Isso é o paraíso
O que eu realmente quero
É a inocência perdida?
Inocência perdida

Em uma terra de deuses e monstros
Eu era um anjo
Procurando ser f**** de verdade

Como uma fã anônima
Posando como uma verdadeira cantora
A vida imita a arte

Você tem esse remédio que eu preciso
Droga, atire-a
Direto no coração, por favor

Eu realmente não quero saber
O que é bom para mim
Deus está morto, eu disse
"Querido, por mim tudo bem. "

Ninguém vai tomar minha alma
Vivendo como Jim Morrison
Caminhando para um feriado fodido

Motel, bebedeira, orgias
E eu estou cantando
F*** Yeah, dê para mim
Isso é o paraíso
O que eu realmente quero
É a inocência perdida?
Inocência perdida

Quando você fala é como um filme
E me deixa louca
Porque a vida imita a arte
Se eu ficar mais bonita, posso ser seu amor?
Você me diz "A vida não é tão difícil assim''

Ninguém vai tomar minha alma
Vivendo como Jim Morrison
Caminhando para um feriado f****

Motel, bebedeira, orgias
E eu estou cantando
F*** Yeah, dê para mim
Isso é o paraíso
O que eu realmente quero
É a inocência perdida?
Inocência perdida"

segunda-feira, 7 de março de 2016

Memórias

As pessoas no geral não mudam, mas elas podem.

Elas só não mudam, pois é mais fácil não mudar.

Eu mesma estou sempre esperando... esperando... esperando e esperando.

Esperando outro tempo, outro momento, outro mês, outro dia... Outra hora... Estou sempre esperando ser outra pessoa algum dia. 

As coisas nem sempre são justas, acredite em mim, eu sei do que estou falando. Mas muitas das vezes, simplesmente você recebe o que dá!

O resto das nossas vidas está sendo definido agora mesmo. Com os alvos que perseguimos, as escolhas que fazemos e PRINCIPALMENTE com as pessoas que decidimos ser.

Isso mesmo, a pessoa que VOCÊ DECIDE ser.

As pessoas, o sistema, o mundo, e até o próprio Satanás, não tem a capacidade de decidir isso por você! Essa escolha é sua! O próprio Criador lhe concedeu esse direito.

O resto da vida é muito tempo… O resto da vida pode até significar a eternidade... E o resto da sua vida e da minha começa agora.

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Cantando Minha Vida - Capítulo 3: Money Power Glory

Na terceira parte de "Cantando Minha Vida", eu gostaria de expressar a luta interminável, que possuo.

Todos nós temos que travar essa luta, porém pra alguns de nós, não se trata apenas do dilema: "Você irá alimentar o lobo bom ou o lobo mal?" Para alguns, é como se dentro das próprias entranhas algo forte e amedrontador colocasse em xeque tudo o que você acredita que é!

Money (Dinheiro) Power (Poder) Glory (Glória), não é usado em sentido literal nessa letra, pelo menos não ao contar minha história... Tem mais um sentido simbólico e profundo, como a segurança, certeza, felicidade e liberdade, que esse outro ser, que é parte da equação do que você é, te persuade - mesmo você tendo consciência que é mentira - tão intensamente, a crer que o caminho que ele indica irá te levar, de certa forma.

Segue:

"Você diz que quer ir
À uma terra que está distante
Como nós vamos chegar até lá
Da maneira que estamos vivendo hoje?

Você fala muito sobre Deus
A liberdade vem de sua vocação, mas
Não é isso o que essa vadia quer
Não é o que eu quero, mesmo

Eu quero dinheiro, poder e glória
Eu quero dinheiro e todo o seu poder, e toda a sua glória
Aleluia, eu quero você por tudo o que você possui
Aleluia, eu quero tê-los por tudo o que eles possuem

O sol também brilha para aqueles que não cumprem sua vocação
Minha vida, ela é feita de perdas e vitórias, de falhas e quedas
Eu posso fazer isso se você realmente, realmente quiser
Eu sei o que você realmente quer, querido
Posso fazer isso se você achar que gosta
Você deveria correr, garoto, corre

Eu quero dinheiro, poder e glória
Eu quero dinheiro e todo o seu poder, e toda a sua glória
Aleluia, eu quero você por tudo o que você possui
Aleluia, eu quero tê-los por tudo o que eles possuem

Drogas e diamantes, drogas e diamantes, diamantes
Drogas e diamantes, drogas e diamantes, diamantes
Isso é tudo o que eu quero
Drogas e diamantes, drogas e diamantes, diamantes
Drogas e diamantes, drogas e diamantes, diamantes

Eu quero dinheiro, poder e glória
Eu quero dinheiro e todo o seu poder, e toda a sua glória
Aleluia, eu quero você por tudo o que você possui
Aleluia, eu quero tê-los por tudo o que eles possuem"

terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

Cantando Minha Vida - Capítulo 2: Guns and Roses

Dando continuidade na saga "Cantando Minha Vida"...

Pior que nada, é quando algo ou alguém acontece em nossa vida, no lugar errado e na hora errada.

Essa letra - para mim - fala um pouco sobre isso... E falando sobre minha vida, ela descreve um certo alguém que apareceu no lugar e na hora errada. Mas que vira e mexe, eu me pego imaginando como seria se tivéssemos nos encontrado de outra forma... em outra época...

Segue:

"Mm, meu amor de heavy metal
Eu deveria ter aprendido a deixá-lo ficar
Você não me queria o tempo todo
Mas você valia a pena de qualquer jeito

Porque você era muito melhor
Do que o resto deles
Fora de todos os outros
Você era o homem honesto

Ele adorava Guns and Roses
Guns and Roses
Ele adorava Guns and Roses
Ele adorava Guns and Roses
Roses, roses

Amor motocicleta, divino
Eu deveria ter aprendido a deixá-lo jogar
Eu não era do tipo de se casar
Eu deveria ter feito isso de qualquer maneira

Você deveria ter deixado esses falsos
E então começou novamente
Para matar teu rei, detroit
Voltar para a terra prometida

Ele adorava Guns and Roses
Guns and Roses
Ele adorava Guns and Roses
Ele adorava Guns and Roses
Roses, roses

Eu posso sentir no ar esta noite
Vê-lo trabalhando nesse azul pacífico
eu posso vê-lo tomar banho à luz de verão
Voltando bronzeado, estou apaixonada também

Eu acho que você domina o jogo, garoto, jogo, garoto
Você domina o jogo, garoto, jogo
Você domina o jogo, garoto, jogo
Você domina o jogo

Ele adorava Guns and Roses
Guns and Roses
Ele adorava Guns and Roses
Ele adorava Guns and Roses
Roses, roses

Ele adorava Guns and Roses
Guns and Roses
Ele adorava Guns and Roses
Ele adorava Guns and Roses
Roses, roses

Roses, roses, roses"

sábado, 13 de fevereiro de 2016

Cantando Minha Vida - Capítulo 1: God Knows I Tried

Existem artistas que tem a capacidade de escrever músicas que descrevem com perfeição um sentimento, situação, alguém, ou até nós mesmos em suas canções...

Existe uma artista, em especial, que toda e qualquer música que ela escreve, grava e canta, faz com que todos os poros do meu corpo se alterem... É como se ela tivesse encontrado meus diários e estivesse lendo em voz alta! É assustadoramente impressionante.

Dito isso, irei publicar algumas letras de músicas (tradução), ou letras de músicas nacionais, como forma de contar algumas de minhas histórias...

Abaixo segue a primeira, que descreve com perfeição como me sinto com relação a minha vida no geral:

"Às vezes eu acordo pela manhã
Com os céus em vermelho, azul e amarelo
É tão louco que eu poderia bebê-lo
Como uma tequila de nascer do sol
Eu coloco pra tocar aquela Hotel Califórnia
Eu danço por aí como se estivesse insana
Eu me sinto livre quando não vejo ninguém
E quando ninguém sabe meu nome

Deus sabe que eu vivi
Deus sabe que eu morri
Deus sabe que eu implorei
Que eu implorei, emprestei e chorei
Deus sabe que eu amei
Deus sabe que eu menti
Deus sabe que eu perdi
Deus me deu a vida
Deus sabe que eu tentei
Deus sabe que eu tentei
Deus sabe que eu tentei
Deus sabe que eu tentei

Às vezes eu acordo pela manhã
Com luzes vermelhas, azuis e amarelas
Na segunda-feira eles me destruíram
Mas até a sexta-feira, eu revivo
Eu coloco pra tocar aquela Hotel Califórnia
Cubro os meus olhos na chuva
Eu não tenho muito mais pelo que viver
Desde que encontrei minha fama

Deus sabe que eu vivi
Deus sabe que eu morri
Deus sabe que eu amei
Deus sabe que eu menti
Deus sabe que eu vivi
Que eu implorei, emprestei e chorei
Deus sabe que eu perdi
Deus me deu a vida
Deus sabe que eu tentei
Deus sabe que eu tentei
Deus sabe que eu tentei
Deus sabe que eu tentei

Então que haja luz
Que haja luz
Ilumine a minha vida
Ilumine a minha vida
Que haja luz
Que haja luz
Ilumine a minha vida
Ilumine a minha vida

Deus sabe que eu tentei
Deus sabe que eu tentei
Deus sabe que eu tentei
Deus sabe que eu tentei
Deus sabe que eu tentei
Deus sabe que eu tentei
Deus sabe que eu tentei
Deus sabe que eu tentei"

terça-feira, 15 de dezembro de 2015

Harrisando a Minha Maneira

Se eu tivesse a capacidade de pensar claramente, eu lhe diria que eu me encontro lutando sozinha no escuro, na mais profunda escuridão, e que somente eu posso saber... Somente eu consigo entender minha própria condição.

Eu lhe diria... Eu lhe pediria... Eu imploraria por amor, por paz. Eu pediria pra me livrar dessa carga e pra me dar esperança... Pediria ajuda pra enfrentar tudo o que passou e tudo o que virá.

Pediria pra que segurasse minha mão...

Me dê amor.... Me dê paz... Me dê luz... Me dê vida... Me livre da carga... Me dê esperança... Me ajude a enfrentar esse peso tão pesado...

Senhor....

Por favor segure minha mão.

quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

Off To The Races (Lana Del Rey)

“Meu velho homem é um homem mau
Mas não posso negar o modo como ele segura minha mão
E ele me agarra, ele me tem pelo meu coração

Ele não se importa de eu ter um passado em Las Vegas
Ele não se importa de eu ter o jeito grosseiro de Los Angeles
Ele me ama com cada batida do seu coração de cocaína

Piscina brilhando, querido
Sem meu biquíni branco com meu esmalte vermelho
Me veja na piscina
Ondas azuis brilhantes, você
Sentando e bebendo em seu cristal negro, sim

Luz da minha vida, fogo dos meus quadris
Seja bonzinho, faça o que eu quero
Luz da minha vida, fogo dos meus quadris
Me dê aquelas moedas de ouro, me dê aquelas moedas

E eu estou indo para as corridas
Casos de caçadores de Bacardi
Caçando-me por toda a cidade
Porque ele sabe que eu estou perdida
Encarando o tempo de novo em Rikers Island
E eu não vou sair
Porque eu sou louca, querido
Eu preciso que você venha aqui e me salve
Eu sou sua pequena promíscua, estrelinha
Cantando no jardim
Beije minha boca aberta
Pronta para você

Meu velho homem é um homem durão
Mas tem uma alma tão doce quanto geleia vermelha-sangue
E ele me mostra, ele me conhece
Cada centímetro da minha alma obscura de alcatrão

Ele não se importa que eu tenha uma vida destruída e decadente
Na verdade, ele diz que acha que é isso que ele deve gostar em mim
Ele me admira, o jeito que eu rolo como uma pedra rolante

Gosta de me ver na sala de vidro
No banheiro, Chateau Marmont
Escorregando no meu vestido vermelho, passando minha maquiagem
Sala de vidro, perfume, conhaque, fumaça lilás
Diz que isso é como o paraíso para ele

Luz da vida dele, fogo dos seus quadris
Guarde-me pra sempre, me diga que me possui
Luz da sua vida, fogo dos seus quadris
Me diga que você me quer, me dê aquelas moedas

E eu estou indo para as corridas
Casos de caçadores de Bacardi
Caçando-me por toda a cidade
Porque ele sabe que eu estou perdida
Encarando o tempo de novo em Rikers Island
E eu não vou sair
Porque eu sou louca, querido
Eu preciso que você venha aqui e me salve
Eu sou sua pequena promíscua, estrelinha
Cantando no jardim
Beije-me na minha boca aberta

E eu estou indo para as corridas, rendas
O couro na minha cintura está apertado
E eu estou caindo
Eu posso ver seu rosto, é sem-vergonha
Porão dos Cipriani
Eu amo você mas vou desmoronar
Deus, eu sou tão louca, querido
Lamento por eu estar me comportando mal
Eu sou sua putinha, estrelinha
Rainha de Coney Island
Fazendo de toda a cidade um Inferno
Desculpe-me por isso

Meu velho é um ladrão
E eu vou ficar e rezar com ele até o fim
Mas eu confio na decisão do Senhor, para olhar por nós
Leve-o quando ele for capaz, se ele for capaz
Eu não tenho medo de dizer que eu morreria sem ele

Quem mais conseguiria me aturar assim?
Eu preciso de você, eu respiro você, eu nunca deixaria você
Eles lamentariam o dia em que eu estivesse sozinha sem você

Você estava deitado com sua corrente de ouro
Cigarro em seus lábios
E eu disse
"Hun, querido, você nunca esteve tão lindo
Como está agora, meu homem"

E estamos fora das corridas, lugares
Pronto, derrube o portão
E agora estamos indo em frente
Até Las Vegas, caos
Cassino Oasis
Querido, é hora de girar
Garoto, você é tão louco, querido
Eu te amo para sempre, não talvez
Você é meu único e verdadeiro amor
Você é meu único e verdadeiro amor”

quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

Memórias de um Domingo Qualquer

Domingo... Ah os domingos.... Sempre cheios de expectativas vazias sobre tudo o que aconteceu e não aconteceu, na sua vida, na semana que se passou e nos dias que se passaram, e nos anos, e em toda sua mísera existência...

E no decorrer do dia você para de pensar em tudo o que se passou, e começa a pensar em tudo o que acontecerá, ou que poderá acontecer no decorrer na semana... Na verdade você pensa em tudo que não acontecerá.

E ai você se revolta com o rumo que sua vida está levando, rumo algum, e cheio de uma vontade descomunal promete a si mesmo pela, quem sabe, trilionésima vez, talvez, que começará a cuidar um pouco mais de si.

Que perderá peso, se obrigará a tomar as doses, cavalares, diárias dos comprimidos que enchem seu corpo de sei lá o que por não sei lá quanto tempo, com a esperança de que um dia talvez quem sabe, você possa viver bem num mundo de ar rarefeito no vale das bonecas.

Você toma coragem e assume um compromisso solene que cuidará mais e melhor de si mesmo... Que fortalecerá sua saúde espiritual, emocional e física. Que fará uma hidratação no cabelo, passará Renew no rosto e se arrumará melhor... Você decide que você se respeitará e terá empatia e compaixão por si mesmo.

Que não gastará uma fortuna, que você não tem, e não deixará sua conta no banco ainda mais negativa – até porque você não tem emprego - com coisas autodestrutivas como salgados, biscoitos, bolos, balas, truffas, sorvetes e afins... Que você não gastará parte desse mesmo dinheiro que você não tem, em lojas em liquidação com roupas que não servem em você, mas que mesmo assim você compra como uma forma frustrada e patética de incentivar a si mesma a perder peso.

E com todas essas resoluções você decide seguir sua vida... Ou melhor ainda, você decide começar a viver.

Mas aí, logo em seguida – logo em seguida mesmo – algo acontece... Ou nada acontece, e você começa a se encher de frustração e raiva, e se lembra que você, assim como todos em sua volta, tentou convencer a si mesmo que é só um questão de esforço e força de vontade, e claro de focar os pensamentos em coisas positivas, para que você começe a ver a vida com mais leveza.

Sua raiva eclode quando você se dá conta de que se as pessoas soubessem o que é existir sentindo o profundo vazio do nada, sentir tanta dor, aflição e desespero a ponto de perder o ar, tremer e ter todos poros do seu corpo alterados... Se elas ao menos conseguissem imaginar o quão desesperador é acordar assim todo santo dia, elas jamais, JAMAIS, cogitariam que está de alguma forma em suas mãos aliviar um pouco de tudo isso.

E assim irá passar mais um domingo... Cheio de expectativas vazias sobre tudo o que aconteceu, e não aconteceu, na sua vida na semana que se passou e nos dias que se passaram, e nos anos e em toda sua mísera existência...

quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Chegar...

E essa vontade louca, quase beirando ao desespero, de jogar tudo pro alto e ir andando pela estrada sem destino, mas com uma pressa emergencial de chegar....

Chegar aonde você pertence... Chegar ao lugar que pertence a você... Chegar aonde reside, não seu próximo, mas os seus semelhantes.

Chegar no seu tempo e espaço e conseguir jogar os sapatos pro alto e sentir o chão sem medo dos cacos de vidro e pedras que possa existir e lhe machucar.

Chegar ao topo da montanha e sentir o ar puro e fresco acariciar seu rosto e lhe susurrar que agora sim está tudo bem...

Chegar ao lugar que enfim você possa respirar... Chegar ao lugar aonde eu deveria ter visitado em minha infância, mas como em tudo na minha vida a que eu tinha direito, foi-me negado.

Chegar agora... chegar tarde... chegar jamais.

Enfim... Chegar, sentar e descansar a alma dos sentimentos.

terça-feira, 24 de novembro de 2015

Desilusão

Ela sempre sentiu, de todas as formas possíveis, como a mentira lhe rondava e lhe contava histórias... 

Histórias de como os passeios de domingo na sua infância não iriam acontecer... De como amanhã não seria um melhor dia, de como a lealdade era fidedígna somente até a página 2...

Ela sempre sentiu a reprovação imediatada diante de qualquer perspectiva de acerto...  Ela sempre sentiu que a imaturidade, confusão, desespero e problemática alheia, era o que fazia com que ela fosse apresentada como solução em meio ao caos... Mas que, em meio da toda confusão, sempre há lampejos de luz, que fariam a verdade vir a tona.

Ela sempre sentiu toda verdade, toda mentira, todo veneno, toda amargura maldosa...

Mas ela nunca soube... Não, ela nunca realmente soube.

Ela nunca soube que os passeios de domingo não iriam acontecer, por isso que ela ansiava por cada domingo... Mas todo domingo ela descobria que havia sido enganada e seu coração se partia e ela chorava... Mas logo em seguida ela estava ansiosa para o próximo domingo frente a uma outra promessa baseada em uma mentira... Será que ela sempre soube que era mentira? Será que sua ânsia por autodestruição a fazia neutralizar todo “poder” de seus sentidos para que ela ainda pudesse depositar alguma fé em algo que claramente não era real?

Ela sempre achou que o dia de amanhã seria melhor... Novos ares... Novas perspectivas. Uma nova chance pra começar, recomeçar... Mas todos os dias ela se deparava com o fato de que nada é justo e pouco é certo... Que a falta de esperança e o tormento estariam esperando por ela a todo e cada amanhecer... E que o mundo continuaria sempre o mesmo.

Ela nunca soube que seria incompreendida, abandonada e descartada por elas, por eles... por ele... Que mesmo que eles dissesem que entendiam, no fundo eles jamais quiseram saber...  Mas como é possível que ela não soubesse? Ela já passou por isso de novo, e de novo, e de novo, e de novo, e de novo, e de novo, e de novo, e de novo, e de novo, e de novo, e de novo, e de novo, e de novo, e de novo, e de novo, e de novo, e de novo, e de novo.... E de novo.

E ela ainda irá passar por isso... De novo... de novo... e de novo....

sexta-feira, 18 de setembro de 2015

Paixão

Você sabe o que significa paixão? O que realmente significa? No sentido literário mesmo, o significado da palavra?

Paixão é uma palavra derivada do latim que literalmente significa sofrer/sofrimento. Por isso que quando temos um sentimento piedoso de simpatia com a tragédia pessoal de outros, quando temos empatia e nos compelimos a ajudar alguém em uma situação difícil, fala-se que sentimos “Compaixão”, de tal pessoa ou situação.

Por isso também que muitas religiões usam o termo “Paixão de Cristo”, para descrever os eventos e os sofrimentos – físicos, espirituais e mentais – de Jesus nas horas que antecederam seu julgamento e execução.

Bem esse é o real significado da palavra.... Porém, esse significado vem sendo distorcido de épocas e épocas até ter-se tornado algo de almejo intenso entre nós - meros mortais - em especial, os de nós que tem como tendência natural e absoluta os “excessos” de sentidos e sentimentos.

Os de nós que anseiam mais do que tudo sentir algo real, intenso... estimulante. Os poucos de nós que tem a capacidade de sentir a intensa e pura adrenalina fluir de todos os poros de nossos corpos... Os poucos de nós que se questiona, o quão realmente, é ser ingênuo, imaturo e fantasioso almejar a tão incrível sensação de ter e pertencer a alguém com a ferocidade, ânsia e beleza felina.

Sentir, e fazer sentir, o máximo que qualquer ser humano tenha a capacidade de sentir e viver... Será que desejar viver algo assim é muito egoísmo? Ou somente uma mera ilusão de quem é composto de toda intensidade latente?

segunda-feira, 1 de junho de 2015

Monólogo Ride (1º e 2º Parte)

1º Ato: Eu estava no inverno da minha vida, e os homens que conheci pela estrada foram meu único verão. À noite eu adormecia com visões de mim mesma dançando, rindo e chorando com eles. Três anos em uma turnê mundial sem fim, e minhas memórias deles eram as únicas coisas que me sustentavam, e meus únicos momentos felizes de verdade.

Eu era uma cantora, não muito popular, eu tinha o sonho de me tornar uma bela poetiza – mas por uma infeliz série de eventos eu vi aqueles sonhos riscados e divididos como um milhão de estrelas no céu da noite, que desejei de novo e de novo – brilhantes e quebradas. Mas eu realmente não me importei porque sabia que era necessário conseguir tudo que você sempre quis e então perder para saber o que a liberdade realmente é.

Quando as pessoas que eu conhecia descobriram o que estive fazendo, como eu estava vivendo – me perguntaram o porquê. Mas não há razão em falar com pessoas que tem um lar. Elas não tem ideia do que é procurar segurança em outras pessoas, já que lar é onde você descansa sua cabeça.

Sempre fui uma garota incomum. Minha mãe me disse que eu tinha uma alma de camaleão. Sem senso de moral apontando para o norte, sem personalidade fixa, apenas uma indecisão interior tão extensa e tão ondulante quanto o oceano. E se eu disser que não planejei para que tudo fosse desse jeito, estaria mentindo. Porque nasci para ser a outra mulher - que não pertencia a ninguém, que pertenceu a todo mundo, que não teve nada, que quis tudo com uma vontade por cada experiência e uma obsessão por liberdade que me aterrorizava a ponto de não poder sequer falar sobre isso. E me levou a um ponto de loucura onde tanto me deslumbrava quanto me deixava tonta.

2º Ato: Toda noite eu costumava rezar para que pudesse encontrar meu pessoal – e finalmente encontrei – na estrada aberta. Não tínhamos nada a perder, nada a ganhar, nada que desejávamos mais – exceto fazer de nossas vidas uma obra de arte.

VIVA RÁPIDO. MORRA JOVEM. SEJA SELVAGEM. E SE DIVIRTA

Eu acredito no país que a América costumava ser. Acredito na pessoa que quero me tornar, acredito na liberdade da Estrada aberta. E meu lema é o mesmo de sempre. Acredito na gentileza de estranhos. E quando estou em guerra comigo mesma – dirijo. Apenas dirijo.

Quem é você? Você está em contato com todas as suas fantasias mais sombrias? Você criou uma vida para si mesmo onde é livre para experimentá-lo? Eu sim. Sou louca pra caramba. Mas sou livre.

domingo, 31 de maio de 2015

Eu lhes Desejo o Bem (By Me)

Essa é pra vocês, e vocês sabem quem vocês são.

Quando os dias gloriosos se transformam em noites de tempestade, vocês devem ficar petrificadas, não ficariam? Eu fiquei, senti muito frio, medo. Se imaginem contra o mundo em uma batalha já perdida, dominadas por seus próprios demônios.

Então vocês procuraram por um inimigo (Mas eu não era inimiga de vocês, e vocês sabem disso). Como várias vezes aconteceu, vocês debochavam de mim ignorantemente. Mas o Senhor disse 'ame, ame seu inimigo' então cheque Provérbios 19:29, não chorem.

Eu lhes desejo o bem; Eu lhes desejo o bem; Eu lhes desejo o bem.

Eu desejava simplesmente verdadeira solidariedade, mesmo naquela época quando eu parecia estar cega (Muita coisa eu não conseguia ver). Eu choro por tudo que sonhei, que todos nós poderíamos ser. Manterei vocês em minhas orações até o fim.

Ainda machucada, caminho em cascas de ovos. A mesma criança assustada, me escondo para me proteger (Não acredito que ainda tenho que me proteger de vocês).

Mas vocês não podem me manipular como antes, dêem uma olhada 1 João 4:4

E eu lhes desejo o bem; Eu lhes desejo o bem; Eu lhes desejo o bem.

Se minhas demonstrações de gratidão e amizade durante tantos anos foram minúsculas dentro de suas mentes, (Eu sinto muito, por favor me perdoem), mas não há muito mais que possa fazer. Eu amo todas vocês e fiz tudo que pude.

Talvez enquanto vocês me amaldiçoavam, não se sentissem incompletas, mas todos nós cometemos erros e sentimos a culpa e o ódio interno. Eu sei que vocês, por um tempo, estiveram lá por mim plenamente e talvez, talvez ainda sintam um pouco de amor por mim.

Eu lhes desejo o bem; Eu lhes desejo o bem; Eu lhes desejo o bem.

Mas até aqui o meu Deus tem me ajudado, a levantar a cada queda, e então eu ainda fico de pé diante dos pequenos e dos grandes obstáculos.

Então sei que nenhuma arma forjada contra mim prosperará, com certeza Deus é minha salvação. Devo confiar e não temer.

Sim, eu sei que sei, que sei, que sei.

Faça o bem para aqueles que te amaldiçoam, ore para aqueles que te tratam mal.

Salmos 129:2 diz: "Desde a minha juventude eles me atacam constantemente. Mas não me derrotaram."

E eu lhes desejo o bem.

quinta-feira, 28 de maio de 2015

Meu Mundinho Cruel

Alguns dizem que nossas vidas são definidas pela soma das nossas escolhas. Mas não são nossas escolhas que distinguem quem somos, é o nosso compromisso com elas.

A verdade é um duelo de percepções em que as pessoas só enxergam o que podem enfrentar. Não importa o que você vê, mas sim o que você enxerga.

A dúvida é uma doença. Afeta a mente, gera desconfiança dos motivos alheios e do conhecimento alheio. A dúvida tem a habilidade de por em dúvida tudo o que se acredita sobre alguém e de reforçar as suspeitas mais sombrias à nossa volta.

A justiça, como a beleza, depende dos olhos de quem observa. Alguns vêem uma vítima inocente. Outros vêem o mal encarnado, recebendo o que merece.

Dois erros nunca serão um acerto, porque os erros nunca são iguais.

Confiança é uma coisa difícil, seja confiando na pessoa certa pra confiar ou confiando na pessoa certa pra fazer a coisa errada, mas confiar no seu coração é o mais arriscado.

Todos nós temos segredos mantidos do resto do mundo. Amizades que fingimos ter, relacionamentos que escondemos, mas, o pior de tudo é o amor que não demonstramos. Os mais perigosos segredos que uma pessoa pode encobrir, são os que escondemos de nós mesmos.

Algumas pessoas sofrem para entender sua própria culpa. Relutantes ou incapazes de justificar o papel que desempenham nela. Outros fogem da culpa, escondem sua consciência, até não sobrar nada dela. Mas eu corro em direção a minha culpa. Eu me alimento dela. Eu preciso dela.

Dentro de cada um de nós está a capacidade para o bem e para o mal, mas aqueles que são capazes de ofuscar a linha moral retêm o verdadeiro poder.

Aqueles que não lembram do passado estão condenados a repeti-lo, mas aqueles que se recusam a esquecer o passado, estão condenados a revivê-lo.

Sempre questione onde sua lealdade está. As pessoas que você confia irão esperar por isso, seus maiores inimigos vão desejar isso, e aqueles que você mais estima, vão, sem falhar, abusar disso.

As pessoas dizem que não se pode parar um bada-lo de um sino e pode ser que seja verdade, você certamente pode abafar o seu sobre os brados de conjecturas e mentiras, só que algumas palavras ressoam como sinos de igreja, sobressaem ao estrondo nos chamando-nos para verdade.

Para alguns o compromisso é como a fé, uma devoção escolhida para com outra pessoa ou um ideal inatingível, mas para mim o compromisso tem um lado sombrio uma motivação obscura que fica martelando a pergunta: Até onde estou disposta a ir?

Se as portas da percepção fossem livres, tudo se mostraria ao tal como é. Mas na realidade nossa percepção é quase sempre ofuscada por expectativas, por experiências. Ultimamente descobri que minha percepção está ofuscada só por uma coisa, o ressentimento.

Caos por sua própria definição não pode ser controlado quando o caos aparece toda ordem e intenção tornam-se inúteis, o resultado do caos nunca pode ser previsto, a única certeza que ele trás é destruição que deixa em seu rastro.

Um coração em conflito se alimenta de duvida e confusão, ele fará você questionar sua trajetória, suas táticas, seus motivos. Quando você olha pra frente e só enxerga escuridão, só a razão e a determinação podem puxá-lo de volta do abismo. O problema é quando você não tem a razão e muito menos a determinação.

A natureza pode ser cruel, predadores estão por toda parte, aqueles que não precisam ser protegidos por forças externas geralmente são os que precisam ser protegidos de si mesmos.

Absolvição é a remissão do pecado, a promessa de renascimento, e a chance de fugir das transgressões daqueles que vieram antes da gente. Os melhores entre nós aprenderão com os erros do passado, enquanto o resto, parece estar condenados a repeti-los.

Para aqueles que acreditam em ressurreição a morte é irrelevante, não é um final e sim a oportunidade de uma segunda chance, uma reunião. Mas a própria ideia de ressurreição é tão sedutora que é um conceito fácil de esquecer, antes de você ressurgir da morte, você tem que passar um tempo no inferno.

Penitência é um sacrifício, uma punição voluntaria para mostrar remorso por um pecado, quanto pior o pecado maior o sofrimento que impõe a si mesmo. Para alguns a penitência final é a morte, mas para outros é simplesmente um meio para o fim.

Revelações podem nos ajudar a aceitar as coisas de que mais precisamos expor os segredos que tentamos tão desesperadamente esconder e iluminar os perigos a nossa volta, mas mais do que tudo revelações são janelas em nosso verdadeiro eu, o lado bom e o mal e os indecisos em algum lugar no meio com o poder absoluto de destruir tudo que mais estimados.

A verdadeira identidade de uma pessoa pode ser difícil de distinguir, até por si mesmo levando-a a questionar seu caráter sua vocação, sua própria existência. Para a maioria o tempo trás clareza mais para outros essas perguntas permanecem sem resposta, pois uma identidade pode não ser totalmente definida quando é um segredo escondido.

A escuridão nos apavora, ansiamos pelo conforto da luz porque ela nos mostra os contornos e formas, nos permitindo reconhecer e definir o que há diante de nós. Mas o que mais tememos não é a escuridão em si, mas da verdade que sabemos que se oculta nela.

Acredite-se que o pecado original só pode ser redimido pelas águas do batismo. Mas são os pecados que vêm depois, que não são purificados tão facilmente. E já que o perdão pelo pecado só é concedido ao verdadeiro arrependido, o puro mal nunca pode ser eliminado.

Ao encarar seu inimigo, nenhum treinamento pode vencer a natureza. Separa os fortes dos fracos. E algumas vezes nos diz que se render é o movimento mais forte de todos.

Alguns acreditam que a confissão ajuda uma alma culpada a encontrar a paz. E que nos liberta da vergonha e do remorso pelos nossos erros, perante a morte muitos sentem a necessidade de buscar esse desfecho para fazer as pazes, porque se a morte não nos matar nossos demônios nos matarão.

Um coração culpado é silencioso, sua batida é abafada pelos segredos que ele guarda. Enquanto alguns acreditam que uma confissão possa aliviar a alma torturada, outros a veem como uma forma de exposição. Porque no fim das contas, não importa o que você diga, a forma como você se sente sobre o que fez é igualmente massacrante e pesada. Para a mão da morte é igualmente imperdoável.

De todas as armas que levamos para a batalha, não há nenhuma mais poderosa do que a mente, ela guarda nossos instintos e treinamentos e nos permite distinguir os amigos dos inimigos, o amor do ódio. E se essa arma estiver desregulada, nem por isso estará desarmada, pois a mente é muito mais poderosa quando esta danificada, e não há garantias que não escolha a si mesmo como sua próxima vitima.

A graça esta no centro da tragédia, porque se não tiver altura de onde cair, nem orgulho pela vida que viveu, você não tem nada a perder. Mas quando se esta em queda livre pra desgraça a unica forma de mudar a velocidade é usando a seu favor.

- Revenge

segunda-feira, 20 de abril de 2015

É 2.8 Baby!!! - Assistindo a vida passar

Normalmente quando se vai chegando uma certa idade, as pessoas começam a desgostar de completar ano.

Isso se dá porque em sua maioria, a idade acompanha o medo... O medo de se ir deixando de viver, o medo das limitações e imposições que a idade acompanha. 

O medo de não se ter aproveitado a juventude pra realizar o máximo de coisas, que só a força da juventude nos possibilita realizar. O medo de não ter dedicado seus melhores anos as escolhas certas, e principalmente o pavor de saber que nada no mundo compra o tempo de volta.

Eu compartilho num grau exacerbado todos esses temores. Quer dizer, não me entenda mal eu acabei de completar 28 anos e sei que sou jovem pra caramba! Ao menos cronologicamente minha gente.

Mas minha idade emocional e psicológica bera seus 100 anos e carrega consigo todo o peso, responsabilidade, sofrimento e culpa de uma vida inteiramente incompleta e sem sentido. Escolhas indecisas e ações sem sentido.

Mas o pior de tudo e o meu desespero mais agudo é ter 100 anos de uma vida cheia de nada, sem escolhas, e ao mesmo tempo ter uma vida toda pra frente a qual eu assistirei inerte passar por mais 100 anos de vegetação. E não, eu não poderei fazer nada a respeito.

sábado, 24 de janeiro de 2015

Borderline

Limite entre o que e o que?

Perdida em mim mesma....

Eu sofro de mimfobia. Tenho medo de mim mesma, mas me enfrento todos os dias.

É incrível minha capacidade de mudar de humor a cada 2 segundos...

.... Beijou sapos, mordeu maçãs, espetou o dedo. Entretanto a realidade insistia em sufocar seus sonhos.

Você toma remédios para acordar e remédios para dormir. E mesmo nunca tendo vencido, você sente que já está no vale das bonecas... Onde o ar é rarefeito e você está sozinha... tentando ouvir o que está muito longe... Esperando a felicidade que nunca vai chegar.

Do que você tem medo?
De você ir embora...

Eu constantemente sinto como se estivesse em uma guerra comigo mesma.

Sensações estranhas...

Uma parte de mim é todo mundo... outra parte é ninguém... Fundo sem fundo. Uma parte de mim é multidão... outra parte estranheza e solidão.

Sex
     Drugs
              Love
                     Death

#Amar #Odiar #Amar #Odiar #Amar #Odiar #Amar #Odiar #Amar #Odiar #Amar #Odiar #Amar #Odiar

Paulo me perguntou: "Como podem existir pessoas sem sentimentos?" Respondi: "Ora, Paulo, alguém tem que compensar nossos excessos."

domingo, 7 de dezembro de 2014

Domingo

Como vocês puderam me deixar aqui sozinha pendurada no alto com essa corda tão frágil? Vocês estavam lá ouvindo eu implorando pra não ser deixada pra trás, no escuro, sozinha, e simplesmente deram as costas e caminharam pra fora.

Jogada num canto toda detonada e com tanto medo, eu fiz o que era necessário para sobreviver.

Era tão claro pra mim que achei que não precisava pedir pra vocês não me destruírem. Eu estou lutando a tanto tempo, e sabe, realmente eu estou tentando, mas há um guerra na minha mente.

O problema não é existir um inferno, o problema é você pertencer ao inferno.

Quando você pertence ao inferno, não importa aonde você vá, ele sempre estará lá. Não importa o que você faça, você mudará somente o cenário, mas não a merda da situação.

Toda essa deslealdade somada ao tedioso domingo torna tudo isso
uma ultrasacanagem!

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Impulso

Impulso por Verônica:

im-pul-so
Substantivo Masculino
- Força que provoca movimento de um corpo. (voluntária ou INVOLUNTARIAMENTE);
- Oscilações altíssimas, muitas vezes sem aparente razão ou fundamento;
- Força que IMPELE á pratica de um ato;


- NECESSIDADE IMPETUOSA, que leva á práticas de atos impensados, descontrolados e irrefletidos resultantes de estímulos e incitamentos INCONTROLÁVEIS.

Bem acredito eu que estas descrições dão uma visão geral e razoável do que significa o impulso e conseqüentemente dá uma visão de pessoas, que assim como eu, são impulsivas no mais pleno sentido da palavra.E sim, o verbo está correto "são", a impulsividade no pleno sentido da palavra não se possui, se é!

Eu não sou simplesmente a pessoa com dificuldade de auto-controle, eu sou aquela pessoa que não tem uma parte importante do "raciocínio" funcionando a pleno vapor. Não me entendam mal, minha capacidade de aprendizado e desenvolvimento é até acima da média - (+ de 20% acima) disse um destes testes de Q.I que a gente faz na faculdade - meu raciocínio é falho no que os médicos chamam de "filtro" entre o que se pensa e se sente, e ao que se fala e se faz.

Deixa eu ser mais clara. Uma das funções do nosso raciocínio é filtrar as coisas que pensamos antes de falarmos e filtrar nossos desejos e vontades antes do ato, seja ele qual for. Meu raciocínio "não funciona" nestes aspectos. Eu falo e ajo na velocidade da luz das minhas emoções e pensamentos.

Logicamente que não preciso dizer que este comportamento traz muitos prejuízos pra mim mesma e obviamente aos em minha volta, fora as situações inusitadas e constrangedoras que você cria no meio do percusso - como assediar um amigo afim de suprir ao menos o mínimo possível de alguma necessidade latente do momento - .

O que eu acho mais engraçado é que analisando a frio modo é muito simples resolver esta questão: Meu Deus é só você parar para pensar! Pare para pensar antes de falar, pare para pensar antes de agir, pare para pensar antes de comer, pare para pensar antes de beber, pare de pensar antes de gastar.

Só que não! Meus pensamentos viajam 5x mais rápido que a velocidade da luz, o que faz com que aquele ditado popular sirva pra mim, porém ao contrário: "Faz primeiro, pensa depois".

segunda-feira, 28 de julho de 2014

Sozinha na Noite

Sabe quando você esta triste, tristinha? Igual quando você era pequena e dormia sozinha de luz apagada no seu quarto tendo que enfrentar os pesadelos que te acordavam no meio da noite, e que faziam você sentir coisas aterrorizantes? Provavelmente você se agarrava com todas as forças que suas pequenas mãozinhas poderiam ter, até porque, era tudo o que você tinha no momento. Na verdade, você está mais triste do que com medo, porque sabe que alguém - deliberadamente - lhe deixou ali, sob aquela condição. E não há o que fazer, então só te resta chorar baixinho no escuro, até pegar no sono e quando acordar sentir uma sensação de que você não merecia ter passado por aquilo, mas que esse detalhe não importa na verdade, porque o fato é que você irá vivenciar isso a toda e cada noite...

sexta-feira, 18 de julho de 2014

Paraíso Perdido com Pesadelos Acordados

1º Ato:
O exército daqueles que amo me cercam, e eu os cerco. Eles não me deixarão em paz até que eu vá com eles, até que eu os responda. Até que eu descarregue-os com a carga da alma.

2º Ato:
Feminilidade, e tudo que compõe uma mulher. O útero, os seios, mamilos, leite materno, choro, risada, pranto, visões amorosas, perturbações amorosas e ascendência. A voz, articulação, linguagem, sussurro, grito alto. Comida, bebida, pulso, digestão, suor, dormir. Andar, nadar, controle nos quadris, saltos, bamboleio, abranger, curvar os braços e apertar. As mudanças contínuas no franzir da boca e ao redor dos olhos. A pele, marcas de sol, sardas, cabelo. A simpática curiosidade que ela sente com a mão na carne nua do corpo, o ciclo da respiração, inspira e expira. A beleza da cintura, daí o quadril, e daí para baixo em direção aos joelhos. Os ossos e a medula nos ossos. Essas não são somente partes de um poema e um corpo, mas da alma.

3º Ato:
As melhores mentes das últimas gerações foram destruídas pela loucura. Ficaram famintos, histéricos e nus arrastando-se em ruas escuras na madrugada em busca de uma dose violenta. Cansados de serem santinhos descolados, ardendo por um contato celestial, fumando na escuridão sobrenatural; usando farrapos e com olhos fundos. Flutuando nos topos das cidades apreciadoras de jazz. Aqueles que mostraram seus cérebros para o paraíso e viram anjos iluminados cambaleando no telhado de cortiços, eles que passaram por universidades com olhos radiantes. Aqueles que se encolhiam em quartos usando roupas íntimas ouvindo o terror através das paredes. Aqueles que foram pegos bebendo no beco do paraíso; ou contorcendo seu torso noite após noite com sonhos, com drogas, com pesadelos acordados. E então, de ser criada á sua imagem e semelhança á ser banida por querer ser muito como Ele, nós fomos expulsos do Jardim do Éden e fizemos um Jardim do Mal. As cidades de deuses e monstros, o mundo do meio - onde somente as escolhas feitas de seu livre arbítrio irão decidir se você escolherá o caminho correto - é chamado por alguns poetas de "Entrada para o mundo interior", mas em algumas noites de verão, parecia um Paraíso. Um Paraíso perdido.

- Citação do Poema citado do curta-metragem "Trópico"

quinta-feira, 17 de julho de 2014

Comida e Outras Drogas...

As vezes várias partes de mim querem me direcionar - ao mesmo tempo - a caminhos tão distintos e contraditórios, que mesmo que eu quisesse, não conseguiria atender a todos.

Essas partes, essas vozes, acreditam em coisas distintas, mas todas elas me cobram e me questionam as mesmas coisas... As vezes você se submete a aceitar alguns tratamentos inadequados de amigos... de parceiros... de colegas... Até quase o insuportável e o ultrapasse do insuportável... Sei que as pessoas no geral não entendem, elas realmente não entendem que mesmo você repudiando tudo isso, nada, NADA, é pior do estar sozinha.

É complicado quando uma pessoa chega no nível de falar consigo mesma, por meio de um blog... por meio de um gravador no celular, e usar isso de alguma forma pra não se sentir tão sozinha. É patético na verdade.

É tedioso - com um T bem grande pra você - sentir as mesmas coisas sempre e nunca saber lidar com elas. É como se você fosse um anjo residindo num mundo de demônios, e somente eles, possuem o antídoto que você precisa. E você está destruída e com medo, e acaba fazendo o que é preciso fazer pra sobreviver.

Algumas pessoas recorrem as drogas - incluindo o álcool e as comilanças- como uma forma de antídoto, como uma forma de aliviar a dor inexpressível do nada... do vazio. Estas práticas não são saudáveis, e longe de mim incentivar alguém a recorrer a qualquer tipo de vício para tentar preencher um vazio  - que sabemos que é impreenchível -, mas  até que ponto podemos condenar alguém por tentar anestesiar o insuportável?

sábado, 12 de julho de 2014

Autocomiseração

As pessoas em geral me encaram como alguém fraca, que sofre intensamente de autocomiseração, ou seja, alguém com muita dó de si mesma.

A questão é que as pessoas não fazem ideia das   dificuldades que já passei, o que já enfrentei e o que tive que fazer para conseguir estar aqui. Para conseguir ao menos respirar a todo e cada amanhecer.

Já comecei vários dos meus dias com o olhar miserável, com o sentimento desesperador de perda com trilhões de dúvidas, e somente uma certeza, a de estar só. Estar só num mundo aonde ao menos 8 milhões das pessoas, (1% da população mundial), poderia e oferece o maior amor do mundo. Aonde o maior Ser do universo me oferece seu amor e cuidado, mas que eu não consigo, não consigo, me aproximar e merecer este amor.

Passar por épocas que você simplesmente não sabe se conseguirá sobreviver a mais uma noite, e nestas épocas, esta sensação vem todo santo dia.

As pessoas no geral não se preocupam com quem você é, elas estão muitos mais interessadas no que você faz ou fala, porque desta forma elas podem te criticar e julgar sem dor de consciência. Elas podem projetar tudo o que elas receiam e repudiam em si mesmas em você, para conseguir ter - ao menos - uma falsa sensação de paz.

Eu sou intensa, eu choro, eu falo, eu questiono. Eu odeio, eu amo, eu xingo, e eu defendo.Tenho muita dificuldade de esconder minhas emoções, e por consequência não refreio muito minhas palavras e minhas ações (o que é sem dúvida um grande problema). Sou excêntrica, falante e sofro agressões psicológicas por conta de todo este conjunto de atribuições que eu possuo.

Se isso é sinal de fraqueza ou de autocomiseração eu realmente não sei. E não sei mesmo, porque para ser sincera a primeira pessoa que me julga - num grau altamente pesado - como fraca e com autocomiseração, sou eu mesma! E sinto vergonha de ser assim. Sinto vergonha de ser fraca e de me questionar o porquê as coisas pra mim tem que ser mais difícil, mais sem controle, mais sem perspectiva. Devaneio sobre isso e começo a sentir uma raiva incontida do mundo, da minha vida... Mas uma coisa eu sei, sentir pena de si mesmo é muito feio! Muito feio.

Então me obrigo - mesmo com dor, medo e inseguranças - a entrar na minha floresta escura e cheia de mistérios. E a atravesso, todos os dias.

Atravesso sem saber o que poderei encontrar no meio do caminho, sem saber com que animal selvagem poderei me deparar e se conseguirei me defender dele mais uma vez. Sem saber se conseguirei chegar em algum ponto conhecido ou se me perderei em meios aos seus caminhos tortuosos e parecidos e totalmente diferentes a cada dia.

A questão é se você caro leitor - que talvez tenha um grau aceitável de normalidade, talvez tenha família, amigos e relacionamentos "estáveis" com as pessoas em geral, que talvez não tem a mínima ideia do que lutar pela sanidade - é capaz de sobreviver ou ao menos percorrer um trajeto completo durante um dia dentro da minha floresta?

O que você acha? Conseguiria lidar com o leão enfurecido? Conseguiria lidar com as cascavéis destilando litros de veneno? Conseguiria lidar com o urso faminto? Conseguiria lidar com as armadilhas altamente engenhosas e atraentes?

Sinceramente, você acha que sobreviveria?

quarta-feira, 9 de julho de 2014

Discriminação

Discriminar significa basicamente fazer distinção. A discriminação sempre acontece quando há uma atitude adversa perante uma característica específica e diferente.

Ou seja, se você não se "enquadrar" em um perfil - seja de raça, gênero, regionalidade, nacionalidade, religião, situação social - que uma maioria de indivíduos num grupo, você é discriminado.

Na minha opinião todas as formas de discriminação são humilhantes e causam além de muita dor, vários prejuízos sérios aos envolvidos.

Eu sofro discriminação a minha vida inteira e posso afirmar que isso é algo que você não supera, é algo que com muito esforço você "aprende" a suportar. Aprende entre aspas mesmo, porque terá dias e épocas que os sentimentos tragos pela discriminação - vergonha, medo, humilhação, solidão, exclusão, entre outros - são bem mais fortes e intensos do que sua força de vontade (e põe força nisso) de mostrar ao menos externamente que você está bem.

Voltei a me maquiar como uma tentativa de me sentir um pouco melhor com minha aparência que me aterroriza e como um incentivo a mais para refrear minhas lágrimas, nessa época aonde - ao meus olhos - a discriminação está vindo intensamente de todas as direções.

Eu sou discriminada por ser diferente da maioria, por a serotonina e a dopamina não conseguirem fazer muito pelo meu cérebro. Pela endorfina me poupar das dores físicas causadas por elementos externos, porque meu corpo já sofre demais com os malefícios da minha mente e da minha personalidade.

O pior da discriminação, é que você não tem um lugar seguro para se proteger. A maior parte do tempo, você está no ambiente da discriminação e quando não, você está sozinho, sofrendo e desejando ardentemente ser qualquer pessoa que não seja você.

terça-feira, 24 de junho de 2014

Empatia

Bob Hoffman descreveu a empatia como sendo a resposta afetiva apropriada à situação de outra pessoa.

Já a psicologia vai um pouco mais além e entende a Empatia como uma forma de inteligência emocional que pode ser dividida em dois tipos: a cognitiva -relacionada à capacidade de compreender a perspectiva psicológica das outras pessoas; e a afetiva - relacionada à habilidade de experimentar reações emocionais por meio da observação da experiência alheia.

Ou seja,  falando de forma direta e objetiva a empatia é a capacidade de se colocar no lugar do outro. De entender o outro, de racionalizar como agiríamos se estivéssemos no lugar da pessoa, levando em conta todo o universo de coisas que giram em torno da situação e emoções DELA. Desta forma conseguimos ter uma atitude altruísta e de compaixão. 

Eu acredito na empatia e no altruísmo, até porque, a bíblia destaca estas qualidades e incentiva os cristãos a cultivá-las. Mas, eu me pergunto como uma pessoa pode genuinamente se colocar no lugar de outra? Como alguém pode se colocar genuinamente no meu lugar?

A questão é que todos nós sofremos com as influências da nossa infância, e é por isso que ninguém conhece, e nem pode realmente entender completamente outra pessoa.

Quer dizer, como podemos conhecer a dor de infância de outra pessoa? Como podemos nos colocar no lugar dela? Realmente tentar sentir suas dores e tentar entender suas ações, se jamais saberemos tudo o que ela carrega consigo?

Acredito que meditar nestas respostas seja o primeiro passo para se cultivar a empatia. Aceitar que não temos o direito, e muito menos a capacidade de julgar qualquer um que seja por qualquer motivo que seja.

segunda-feira, 9 de junho de 2014

Partes de Mim

É muito complicado - especialmente pra mim - falar sobre minha personalidade, me definir...  Até porque, eu sou uma mistura de alguma coisa com coisa nenhuma.

Algumas pessoas - a maioria - que acompanham meu blog, não me conhecem pessoalmente, então a visão que estas pessoas tem de mim são feitas totalmente com base no que eu escrevo.

Analisando meus textos, a conclusão mais óbvia que a pessoa chega, é a de sou uma maníaca depressiva (no mínimo), e isso é algo totalmente compreensível.

E realmente uma parte de mim é super melancólica, uma parte de mim tem um contentamento mórbido na tristeza. Muitas pessoas tem a ideia que sou uma pessoa totalmente problemática, depressiva e triste.

Não posso mentir, um pedaço de mim realmente é, mas também existe um pedaço meu carismático, simpático, animado, entrosado, espontâneo, elétrico, divertido, irreverente e magnético, que atrai muitas pessoas até mim. Este lado me domina em muitas situações e em muitos dias também.

Mesmo aos que me conhecem mais a "fundo" - e sabem que existem algumas "versões" de mim - eles param para falar comigo, fazem até questão nestes meus bons momentos. Acredito eu, que isso se deve porque nestes momentos, dentro deste meu pedaço eu as divirto, as atraio, as encanto.

Existe um pedaço meu tão consciente e responsável, um pedaço que sabe que não importa o que aconteça eu preciso acordar todos os dias e seguir adiante, não importa o quão temerosa e acabada que eu esteja, eu preciso (e vou) trabalhar, pois tenho muitas responsabilidades, as quais são minhas e de mais ninguém. E também existe aquele pedaço imediatista que só responde a impulsos e a perigos, além de me expor a viver no limite.

Existe um pedaço meu tão leal, bom e abnegado que enche os olhos de muitos que me tem - ao menos no primeiro momento - como amiga, mas também existe aquele lado psicótico, assustador, sufocante e as vezes até mesmo infiel.

Tenho meu pedaço carinhoso e amável, sensível e carente, e tenho também meu lado raivoso, grosseiro, agressivo, que me fez a algumas semanas atrás provocar uma briga com 2 pessoas que nunca vi na vida, com o desejo que a situação saísse do controle para que houvesse confronto físico.

Todos estes aspectos formam o que eu sou. Formam a minha personalidade. Eu sou um mix, um tipo de híbrida, uma mistura.

Infelizmente a ciência ainda não conseguiu um remédio ou tratamento para a cura de distúrbios de personalidade.Seria ótimo se conseguissem, assim haveria cura para Borders, Psicopatas entre outros.

Mas independente do pedaço de mim que me domina no momento, ou que me dominará amanhã ou na semana que vem, o meu conceito continua o mesmo: Gostaria de ser compreendida e que as pessoas simplesmente me amassem como a híbrida que sou. Que elas me amassem, me amassem, e me aceitassem.

Porque a soma de todos estes pedaços, formam o que eu sou.

quinta-feira, 22 de maio de 2014

Força

Para Isaac Newton a "Força" era um conceito fundamental para o desenvolvimento das suas três leis - as quais hoje nos permite - ter uma base para compreensão dos corpos materiais, seja celeste, seja terrestre.

Para uns a força se baseia somente no quesito físico - músculos ou até mesmo gordura em excesso -, para outros a força pode ser referir a uma condição mental. Falando no quesito emocional a grande parte das pessoas creem que as pessoas fortes são aquelas que não se abalam por nada, aquelas "sangue de barata".

Não sei se concordo com isso, quer dizer, com TUDO isso. Em especial na definição emocional. Veja bem, vamos analisar o que Newton descobriu com relação a Força por si só.

A primeira lei Newtoniana prega que todo corpo continua em seu estado de repouso a menos que seja forçado a mudar aquele estado por forças aplicadas. O que seriam forças aplicadas? Porque eu te digo - não, na verdade eu te garanto que durante uma crise depressiva + máxima sensibilidade + choro +  crise do pânico + total desespero, não existe nenhuma força aplicada em você - e a coisa que você menos deseja é estar exposta, em especial exposta, com aqueles - pessoas e ambientes -  que te deixam ainda mais vulnerável.

Mas e ai se este ambiente inimigo é algo como seu emprego? O que a gente faz? O que você faz se você simplesmente Necessita trabalhar devido a alguns (vários), erros de percurso que você teve ao se direcionar a sua classe econômica? E se além deste grande desvio (dívidas), você ainda tem compromissos básicos - como por exemplo, com sua saúde mental - que custa caro?

Nessa situação o que você faz? Você levanta e vai soluçando, mas vai. Com dor no peito, falta de ar e com um desejo ardente - mais ardente do que qualquer coisa que você já tenha desejado na vida - de simplesmente ir embora... You just want walk away, mas já que você não pode, você caminha sofrendo por antecipação pelas 9 horas que terá de enfrentar de total tortura psicológica.

A loucura é tanta que você não sabe se vai correndo pra tudo acabar logo, ou se você vai lentamente pra se preparar e adiar o inevitável. É aquela velha história que eu não consigo entender, a cada dia que passa temos um dia a menos ou um dia a mais?

Então pra mim a base da lei de Newton e o conceito da maioria das pessoas está totalmente distorcido no quesito Força. 

Força mesmo é sentir que a sua sobrevivência não é desejada, mas apenas necessária e mesmo assim seguir em frente. Força mesmo é se confrontar todos os dias com o poema guerreiro:

Once more into the fray 
Mais uma vez adentro a batalha
Into the last good fight I'll ever know
Vou para uma das últimas boas brigas que terei
Live and die on this day 
Viver e morrer nesse dia
Live and die on this day
Viver e morrer nesse dia 

segunda-feira, 28 de abril de 2014

Seja Você Mesmo

Hoje uma pessoa, a qual eu tenho imenso carinho, me deixou um post que dizia "Seja você mesmo. Todos os outros já existem..." Eu não entendi o porquê que ela me mandou isso, mas eu gostei bastante, por algum motivo eu me senti confortada ao ler essa frase.

Mas ai surge aquela questão que eu não consigo responder: Quem é você?

Florbela Espanca escreveu: “Quando morrer, é possível que alguém, ao ler estes descosidos monólogos, leia o que sente sem o saber dizer, que essa coisa tão rara neste mundo - uma alma - se debruce com um pouco de piedade, um pouco de compreensão, em silêncio, sobre o que eu fui ou o que julguei ser. E realize o que eu não pude: conhecer-me”.

Será? Será que alguém ao ler meus pensamentos, meus desabafos, meus devaneios conseguirá me conhecer e descobrir o que eu não consegui: Saber quem sou? Acredito que esse foi o motivo de eu ter começado a escrever este blog. Foi a esperança que alguém pudesse desvendar este mistério e pudesse me dar alguma direção.

Eu assisti um filme esses dias em que a personagem principal dizia: "Não sou formada apenas por coisas só minhas... Assim como uma flor não escolhe a cor que tem, não somos responsáveis pelo o que nos tornamos. Só quando percebemos isso nos tornamos livres e virar adulto é ser livre".

Por um instante eu desejei ter esta convicção, desejei simplesmente aceitar que este demônio e este anjo intensamente entrelaçados sou eu, e comecei a me questionar se realmente podemos ser culpados pelas nossas compulsões.

Quando eu digo compulsões, não estou me referindo a defeitos ou falhas de caráter, mas sim resultado de traumas, criação ou outras variáveis que simplesmente foram alicerces para constituição do nosso Ser, de nosso Caráter. Estou me referindo a Moral de um Ser Humano.

As pessoas acreditam - e fazem parecer tão lógico e óbvio - que esta força existente entre o bem e o mal dentro de todo ser humano, é algo totalmente domável. É somente uma questão de ajuda celestial, esforço e força de vontade para que o bem prevaleça.

Elas não entendem que quando estas forças do bem e do mal fazem parte da constituição do seu ser, elas passam a Ser você e não somente algo que você tem dentro de si. Entende do que eu estou falando? Provavelmente não.

Visto que sou estas duas forças poderosas e opostas, meus sentidos são tão aguçados que beiram ao insuportável. Eu ouço o que os outros não ouvem, e coisas pequenas e distantes que as pessoas não conseguem enxergar, são visíveis pra mim.

Mas no fim, não importa o que aconteça eu não consigo ser Eu Mesma porque simplesmente não sei o que realmente sou. 

Sou a versão angelical problemática, com traumas e questões internalizadas mal resolvidas? Sou a versão demoníaca lasciva com lapsos de consciência? Ou sou apenas alguém totalmente sozinha que tem os sentidos apurados como fruto de uma vida de anseio? Anseio de de ser resgatada... Anseio de ser completada...